Segunda, Novembro 19, 2018
fatopaulista@hotmail.com Telefone: (11) 2849-1454 ::: Ano IX - Edição n º 268
Quinta, 05 Julho 2018 09:17

Escola Doutores da Alegria recebe inscrições para curso gratuito de formação básica de palhaço

Escrito por 
Avalie este item
(0 votos)

Interessados devem ser maiores de 18 anos, artistas profissionais ou estudantes de artes cênicas. Inscrições ocorrem de 15 de junho e 9 de julho

 

Escola Doutores da Alegria, por meio do Programa de Ação Cultural - ProAC, está selecionando artistas profissionais e estudantes de artes cênicas (teatro, circo, dança ou música em níveis técnico ou superior) para o curso gratuito de Formação Básica de Palhaço. Com duração de quatro meses, de 6 de agosto a 12 de dezembro de 2018, ele terá aulas às segundas e quartas-feiras, das 19h às 22h30, na sede da associação (Rua Alves Guimarães, 73 – Pinheiros), em São Paulo.

As inscrições podem ser feitas entre 15 de junho 9 de julho, pessoalmente ou por entrega dos materiais via CorreiosAlém da idade mínima de18 anos e envio de breve currículo, foto (sem maquiagem) e carta de interesse, o processo seletivo prevê ainda participação em oficina de jogo e entrevista. Há 25 vagas disponíveis e o edital pode ser acessado no site dos Doutores da Alegria, que também divulgará os selecionados em 25 de julho.

Mais informações podem ser obtidas pelo e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. ou pelo telefone (11) 3061-5523. É importante ressaltar que a Escola Doutores da Alegria é livre, sem relação com o MEC e que o certificado oferecido é referente às horas realizados (mínimo de 80% de presença). Além disso, não tem relação com o ingresso de artistas no elenco da associação em São Paulo.

O Curso – Trata-se de uma iniciação à linguagem da máscara (nariz vermelho), explorando territórios de criação a partir do jogo cênico e sua poética. “A base é a observação do real, da experiência, do cotidiano e da fabulação para alimento de uma reformulação do mundo, a transposição cênica através da linguagem do palhaço”, comenta Thais Ferrara, diretora de formação da Associação. Ela frisa que não será abordado o caráter individual do palhaço, “mas o aprofundamento da qualidade de jogo”. Vale ressaltar que o curso não forma o palhaço, mas dá as bases fundamentais para essa linguagem.

Estruturado pedagogicamente entre experiências musicais, físicas e jogos de relação, o conteúdo contempla brincadeiras tradicionais e jogo cênico, princípios e práticas de improvisação, base para a dramaturgia do palhaço, gesto cômico, precisão do movimento, musicalidade e apontamento de habilidade artística, entre outros temas. E ainda atividades extracurriculares, como palestras, exibição de filmes, trabalhos e pesquisas, como a de construção de cenas.

Escola Doutores da Alegria - Reconhecida por introduzir a arte do palhaço no universo da saúde, a organização Doutores da Alegria que ampliou a ação do palhaço para locais inusitados, como o hospital tem há onze anos uma Escola de arte, com pedagogia própria no ensino da máscara do palhaço. A Escola Doutores da Alegria privilegia para além da aquisição da técnica, uma formação que prepara estudantes e artistas, autorais e críticos para intervir em palcos diversos, onde as escolhas os levarem.

Doutores da Alegria -Organização da sociedade civil sem fins lucrativos que utiliza a arte do palhaço para intervir junto a crianças, adolescentes e outros públicos em situação de vulnerabilidade e risco social em hospitais públicos e ambientes adversos.  Fundada por Wellington Nogueira em 1991, a associação já realizou mais de um milhão de visitas a crianças hospitalizadas, seus acompanhantes e profissionais de saúde. A partir das intervenções em hospitais, Doutores da Alegria amplia canais de diálogos reflexivos com a sociedade, compartilhando o conhecimento produzido através de formação, pesquisa, publicações e manifestações artísticas, contribuindo para a promoção da cultura e da saúde e inspirando políticas públicas. 

Desde 2016 a associação se reposiciona institucionalmente a partir de uma nova governança e uma nova tarefa institucional, propondo a arte como mínimo social, ou seja, como uma das necessidades básicas para o desenvolvimento digno do ser humano, assim como alimentação, saúde, moradia e educação. O trabalho é gratuito para os hospitais e mantido por doações de empresas e de pessoas.

Ler 6173 vezes