Quarta, Setembro 19, 2018
redacao@fatopaulista.com.br / fatopaulista@hotmail.com Telefone: (11) 2849-1454 ::: Ano IX - Edição n º 266
Terça, 30 Janeiro 2018 12:19

ONGs se unem para capacitar mais de 500 profissionais de varas da infância e juventude e de abrigos para crianças e adolescentes de São Paulo

Escrito por 
Avalie este item
(0 votos)

Parceria entre Fundação Salvador Arena e Instituto Fazendo História tem como objetivo formar equipes para implantação e gestão de projetos de apadrinhamento afetivo, voltados à crianças e adolescentes com chances remotas de adoção ou retorno familiar

 

A Fundação Salvador Arena, que há mais de 50 anos atua na área de assistência social, se uniu ao Instituto Fazendo História, que há 11 anos atende crianças e adolescentes que vivem em abrigos da cidade de São Paulo, para capacitar gratuitamente mais de 500 profissionais da rede de acolhimento da capital, contemplando cerca de 120 abrigos. O objetivo é qualificar projetos de apadrinhamento para assegurar às crianças e adolescentes acolhidos a vivência de vínculos afetivos individualizados e duradouros, facilitando o desenvolvimento de projetos de vida potentes e saudáveis.

A parceria prevê a distribuição de 500 kits didáticos com materiais de implantação e gestão do apadrinhamento10 encontros de formação que já estão sendo realizados desde o mês de setembro do ano passado nas Varas da Infância e Juventude da capital. O próximo encontro está agendado para o dia 2 de fevereiro.

Segundo Sérgio Loyola, gerente de desenvolvimento e promoção social da Fundação Salvador Arena, muitas pessoas que se inscrevem como padrinhos afetivos acreditam que a oportunidade pode facilitar a adoção ou que se trata de uma guarda provisória, mas o apadrinhamento existe para fortalecer o direito à convivência familiar e comunitária de uma criança ou adolescente com chances remotas de voltar a morar com a família de origem ou de ser adotada. “Contamos com a expertise do Instituto Fazendo História e com o apoio do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo para promover mais formação e clareza dos papéis, evitando que o vínculo com a criança ou adolescente seja rompido por falta de conhecimento prévio”, explica Loyola.

A parceria entre as duas instituições acontece por meio do Programa de Apoio a Projetos Sociais(PAPS), criado pela Fundação Salvador Arena para fortalecer o Terceiro Setor, oferecendo gratuitamente assessoria técnica para captação de recursos, elaboração e gestão de projetos sociais e para financiar iniciativas com potencial de transformação social. Nos últimos quatro anos, o programa investiu R$ 9,2 milhões em mais de 701 projetos sociais de ONGs da Grande São Paulo, beneficiando diretamente mais de 1 milhão de pessoas.

Apadrinhamento afetivo

O apadrinhamento afetivo visa ampliar o apoio afetivo e comunitário de crianças e adolescentes que vivem em abrigos fortalecendo o desenvolvimento integral e a construção de sua autonomia e possibilitando experiências de convivência familiar. Não se trata de adoção e não envolve cuidados diários com a criança ou o adolescente e, sim, a convivência frequente com ela, seja na casa (do padrinho ou do afilhado) ou em passeios. A residência da criança ou adolescente continua sendo o abrigo. O apadrinhamento atende crianças e adolescentes com chances remotas de adoção, pois, geralmente, o perfil das crianças e adolescentes não correspondem às condições estabelecidas pelos pretendentes habilitados, que desejam, em sua maioria, bebês ou crianças de até 4 anos de idade, do sexo feminino, que não tenham irmãos e sem condições específicas de saúde.

As regras de cada projeto de apadrinhamento afetivo são definidas por seus órgãos executores e as exigências mais comuns para tornar-se um padrinho geralmente são:

- Idade mínima (25 anos);

- Residir no município onde o programa acontece;

- Disponibilidade para participar de todos os encontros do processo de formação;

- Disponibilidade de tempo para convivência com a criança ou adolescente;

- Possibilidade de se envolver a longo prazo;

- Concordância e apoio dos demais membros da família;

- Adoção não pode ser o objetivo.

Fundação Salvador Arena

A Fundação Salvador Arena é uma instituição beneficente, de direito privado e sem fins lucrativos criada em 1964 pelo empreendedor social Salvador Arena (1915-1998) para manter atividades voltadas à transformação social. Entre 2002 e 2016 a Fundação aplicou mais de R$ 560 milhões em em projetos sociais nas regiões da Amazônia, Baixada Santista, Grande São Paulo e semiárido nordestino. www.fundacaosalvadorarena.org.br.

Ler 19441 vezes
Ligia Minaro

Jornalista Responsável: Ligia Minaro - MTB 33.856