Domingo, Setembro 24, 2017
redacao@fatopaulista.com.br / fatopaulista@hotmail.com Telefone: (11) 2849-1454 ::: Ano IX - Edição n º 254
Quinta, 22 Outubro 2015 13:07

CPI das Torcidas Organizadas da Câmara recebem presidentes de torcidas

Escrito por 
Avalie este item
(0 votos)

A CPI das Torcidas Organizadas, presidida pelo Vereador Laércio Benko recebeu nessa manhã, representantes das três maiores torcidas de São Paulo. Estiveram presentes na reunião Danilo Zamboni, fundador da Independente SPFC, Jânio Carvalho dos Santos, presidente de honra da Mancha Verde, e Rodrigo Azevedo Fonseca, presidente da Gaviões da Fiel.

O vereador Laércio Benko (PHS/SP) abriu a reunião afirmando que as torcidas organizadas têm sido tratadas como “boi de piranha”, já que atos de violência cometidos por torcedores são relacionados às torcidas. “Em toda a sociedade há os bons e os maus, o primordial é que as torcidas organizadas identifiquem entre seus associados os que cometem agressões e os puna adequadamente”, afirmou Laércio. Para o vereador, é fundamental que haja uma discussão conjunta entre Prefeitura, Polícia Militar, Clubes e Torcidas Organizadas sobre o papel da PM em dias de jogos.

Rodrigo Azevedo, da Gaviões da Fiel, diz que pune os torcedores identificados como agressores com advertência e até expulsão. “A Gaviões faz diversos projetos sociais, como campanha de doação de sangue, por exemplo, mas não há repercussão na mídia desses trabalhos. Somos citados apenas em casos de violência”, afirmou o presidente da torcida corintiana.

Para Danilo Zamboni, torcedor do São Paulo, deveria ser feita uma força tarefa entre Ministério Público, Secretária de Segurança Pública, Polícia Militar, Câmaras Municipais e Prefeituras para desenvolver um plano de combate à violência e mudança de cultura na sociedade. “Não se toma medidas preventivas. Os torcedores dos diferentes times têm que entender que o futebol é entretenimento, as pessoas devem ser capazes de sentar lado a lado e torcer para seu time sem brigas”, afirmou o são-paulino. Segundo ele, a PM autoriza a entrada de apenas uma faixa, oito instrumentos de percussão e, eventualmente, um bandeirão.

Jânio Carvalho, presidente de honra da maior torcida do Palmeiras, contou que a Mancha Verde já expulsou 18 torcedores após um caso de agressão. Outro problema apontado por ele é relacionado à violência policial contra os membros das torcidas organizadas. “A polícia é ameaçadora, pode até causar tumultos que machucam inocentes”, afirmou o palmeirense.

Laércio Benko, que também faz parte da Comissão de Direitos Humanos na Câmara Municipal de São Paulo, disse que vai levar o assunto da violência nos jogos de futebol para a Comissão apurar os excessos da polícia militar denunciados pelos líderes das torcidas.

Ler 1009 vezes

3 comentários

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.