Quinta, Agosto 24, 2017
redacao@fatopaulista.com.br / fatopaulista@hotmail.com Telefone: (11) 2849-1454 ::: Ano IX - Edição n º 253
Quinta, 01 Junho 2017 14:33

Alckmin inicia novo trecho de desassoreamento do Rio Tietê e entrega ciclovia e via parque do Parque Várzeas do Tietê

Escrito por 
Avalie este item
(0 votos)

Na ocasião, o governador também conferiu a execução das obras do piscinão do Canal de Circunvalação do Parque Ecológico do Tietê

 

O governador Geraldo Alckmin acompanhou nesta quarta-feira, 31, o início das obras de desassoreamento do rio Tietê, entre o córrego Três Pontes, na divisa de São Paulo com Itaquaquecetuba, e a Barragem da Penha. Com este novo trecho, o DAEE está realizando obras em 120 quilômetros do rio Tietê.

 

“Essa é a hora de evitar enchentes, aproveitar a seca, limpar e dragar o rio, avançar as obras e nos prepararmos para o período do próximo verão”, afirmou Alckmin.

 

O trabalho é realizado pelo DAEE (Departamento de Águas e Energia Elétrica) e beneficia diretamente os municípios de São Paulo e Guarulhos. O investimento do Governo do Estado nas obras de desassoreamento de mais 25 quilômetros do rio Tietê é de R$ 39,6 milhões.

 

A estimativa é remover um total de 500 mil m³ de sedimentos (areia, argila e materiais não inertes) e lixo depositados no fundo do canal. A expectativa é concluir o trecho em 10 meses.

 

120 quilômetros

Com este novo trecho, o DAEE está realizando intervenção em 120 quilômetros do rio Tietê, reduzindo o risco de inundações em 10 municípios, de Mogi das Cruzes a Santana de Parnaíba. As máquinas estão removendo um total de 1,4 milhão m³ de sedimentos, representando um investimento de R$ 139,7 milhões.

 

- 5 quilômetrosdo rio Paraitinga (a partir da foz com o rio Tietê), no município de Biritiba Mirim e5 quilômetrosdo rio Tietê (a montante do canal de adução da Sabesp para o reservatório do Biritiba);

 

- 44,2 quilômetros- do córrego Ipiranga, em Mogi das Cruzes ao córrego Três Pontes, na divisa de São Paulo com Itaquaquecetuba, englobando os municípios de Mogi das Cruzes, Suzano, Poá e Itaquaquecetuba;

 

- 24,5 quilômetros- da Barragem da Penha ao Cebolão, no município de São Paulo;

 

- 16,5 quilômetros- do Cebolão à Barragem Edgard de Souza, englobando os municípios de Osasco, Carapicuíba, Barueri e Santana de Parnaíba;

 

Ciclovia e Via Parque

Na ocasião, o governador Geraldo Alckmin entregou mais um trecho de 8 quilômetros de Via Parque e 14 quilômetros de ciclovia do Parque Várzeas do Tietê, em Guarulhos. O conjunto permite melhor acesso aos núcleos e áreas de lazer do Parque Várzeas do Tietê e do Parque Ecológico do Tietê, além de estímulo ao uso da bicicleta.

 

“Entregamos mais 14 quilômetros de ciclovia às margens do Rio Tietê, aqui em Guarulhos, oito quilômetros de Via Parque e 64 mil mudas de árvores nativas plantadas no Parque Várzeas do Tietê. Com o prefeito (Gustavo Henric Costa) Guti, de Guarulhos, nós fomos vistoriar o piscinão, um dos grandes piscinões de São Paulo. Temos as obras de circunvalação, que evitam enchentes e protegem os bairros, além do início da dragagem do Rio Tietê, entre a Barragem da Penha até o córrego Três Pontes, na divisa de Itaquaquecetuba com São Paulo”, afirmou.

 

As pistas começam no final da rua Vitória Calegari, próximo à barragem da Penha, e se estendem sempre paralelas à rodovia Ayrton Senna, no sentido de quem chega à Capital. Na altura do km 13,5 da Ayrton Senna, as pistas cruzam a rodovia por baixo e entram pelo Jardim Metropolitano. A Via Parque termina na altura do posto de apoio da Ecopistas, empresa concessionária da rodovia; e a ciclovia se estende por mais 6 quilômetros, até as proximidades da avenida Recife.

 

Este é o segundo trecho de Via Parque e Ciclovia do Parque Várzeas do Tietê, que já conta com 15 quilômetros de Via Parque e Ciclovia, no lado de São Paulo, do núcleo Engenheiro Goulart, do Parque Ecológico do Tietê até o Parque da Vila Jacuí.

 

O Jardim Metropolitano foi concebido pelo arquiteto Ruy Ohtake e implantado na área do Parque Ecológico do Tietê e do Parque Várzeas do Tietê ao longo da rodovia Ayrton Senna com o objetivo final de auxiliar na recuperação e preservação da várzea natural do rio Tietê.

 

Parque Várzeas do Tietê

O projeto Parque Várzeas do Tietê tem o objetivo de preservar as várzeas do rio no trecho entre o Parque Ecológico do Tietê - núcleo Engenheiro Goulart, no bairro da Penha, e a divisa de São Paulo com Itaquaquecetuba, por meio da implantação de núcleos de esportes, lazer e cultura.

 

Além do núcleo Engenheiro Goulart, o Parque Várzeas do Tietê conta com:

 

- Parque da Vila Jacuí;

- Núcleo Itaim Biacica (em obras);

- Núcleos Jardim Helena e Any Jaci, em projeto.

 

Todos contam com campos de futebol; quadras poliesportivas; quiosques com churrasqueiras, mesa, bancos e pia de alvenaria; pistas para caminhada e corrida; núcleos para educação ambiental; bibliotecas; estacionamentos e outros equipamentos de esportes e lazer.

 

Além da implantação de novos núcleos, o DAEE está investindo também na recomposição de 40 hectares de matas ciliares ao longo de 15 quilômetros do rio Tietê em Guarulhos, no trecho entre a Barragem da Penha e a avenida Nitroquímica. O trabalho inclui o plantio e manutenção de mais de 66 mil mudas de 115 espécies de árvores e arbustos nativas ao longo da Via Parque e Ciclovia Guarulhos.

 

Canal de Circunvalação do Parque Ecológico

Durante o evento, o governador Geraldo Alckmin realizou uma vistoria técnica às obras de construção do Piscinão do Canal de Circunvalação do Parque Ecológico do Tietê (CC-01). Localizado entre a foz do Ribeirão dos Cubas e o Córrego dos Japoneses, ocupará uma área de 165 mil m² e terá capacidade para acumular 415 mil m³ de águas das chuvas.

 

O Governo do Estado está investindo R$ 67,4 milhões na construção do piscinão CC-01 e na canalização de 3,96 km do Canal de Circunvalação do Parque Ecológico do Tietê, localizado na margem direita do rio, no trecho entre a Barragem da Penha e o Ribeirão dos Cubas, em Guarulhos. As obras são executadas pelo DAEE (Departamento de Águas e Energia Elétrica).

 

As obras incluem a canalização de 500m dos córregos Itapegica, Querumano, dos Cavalos, dos Cubas e dos Japoneses, além da instalação de três conjuntos de comportas ao longo do canal de circunvalação, com término previsto para início de 2018.

 

Os canais de circunvalação do Parque Ecológico do Tietê são canais escavados ao longo das divisas do núcleo Engenheiro Goulart - na zona leste - e têm a função de interceptar os córregos e galerias de águas pluviais, evitando que as águas contaminadas cheguem às lagoas de preservação do Parque. O volume de água captado pelo canal é descartado no rio Tietê abaixo da Barragem da Penha.

Ler 116 vezes
Ligia Minaro

Jornalista Responsável: Ligia Minaro - MTB 33.856

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.