Quarta, Dezembro 13, 2017
redacao@fatopaulista.com.br / fatopaulista@hotmail.com Telefone: (11) 2849-1454 ::: Ano IX - Edição n º 257
Terça, 03 Junho 2014 15:33

Vereador Gilson Barreto critica serviços e valores do contrato do Call Center 156 - edição 213

Escrito por 
Avalie este item
(0 votos)

O vereador Gilson Barreto (PSDB) criticou, esta semana, o atendimento do serviço 156 e os altos valores do contrato municipal com a empresa Call Tecnologia e Serviços LTDA.


De acordo com a Comissão de Estudos para Avaliar os Contratos Firmados pelo Executivo para o Call Center e o serviço 156, grupo do qual o vereador é vice-presidente, o custo médio da operação é de treze milhões de reais por mês.
O serviço 156 funciona 24 horas. Recebe, todos os dias, milhares de reclamações, críticas e sugestões.
“Além de esses valores serem muito altos, os usuários têm reclamado de mau atendimento, falta de informação, demora, desconhecimento dos problemas da cidade e equívocos no encaminhamento das soluções necessárias”, afirmou Barreto.
A comissão convidou a empresa a prestar esclarecimentos sobre a qualidade do serviço e os detalhes do contrato, mas ela se recusou a colaborar. “E a Prefeitura nos encaminhou informações contraditórias. Os números fornecidos pela própria administração são divergentes, com milhões de reais de diferença entre um documento e outro. Estamos ouvindo também funcionários municipais, e contaremos também com uma auditoria externa para subsidiar o nosso trabalho”, acrescentou o parlamentar.
“Por ora, já é possível observar que a qualidade do serviço da empresa é baixa, e os valores do contrato, astronômicos. Para variar, o cidadão paga uma conta altíssima e pouco recebe em troca. Continuaremos atentos para fiscalizar esse e outros contratos que, claramente, além de não atenderem às necessidade da população, despertam suspeitas de favorecimento ilícito. Esse também é, afinal, o papel do parlamento”, concluiu.

Ler 1128 vezes

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.