Terça, Setembro 19, 2017
redacao@fatopaulista.com.br / fatopaulista@hotmail.com Telefone: (11) 2849-1454 ::: Ano IX - Edição n º 254
Quinta, 31 Agosto 2017 08:16

Polemizando - edição 254

Escrito por 
Avalie este item
(0 votos)

Abrindo os trabalhos
É com uma baita friaca, de saco cheio com tantas injustiças e tanto intelectóide de facebook pelo planeta é que abro mais esta coluninha de quinta.

 

Contradições
“Pô o Cinema Nacional...é uma prova de resistência, tem que ser mais reconhecido” frases deste tipo exclamam por ai os intelectuais de rede social, mas o máximo de filme nacional que conhecem não passa do “Se eu fosse você”
“Pô os festivais de música, viva os festivais que voltem os festivais” outro pensamento dos intelectuais de facebook, mas uma simples puxada na capivara midiática do cara, logo se percebe que o dito é um baita vaidoso, que ele se acha o artista e jamais valorizou de verdade a música.
“Pô não é gordo,é um cidadão obeso” outro pensamento entre os “intelectuais de novela”. Todos politicamente correto, mas são uns baitas de uns preconceituosos. Gordo é gordo e pronto!
“Pô as comunidades precisam de melhorias”, falam isso mas jamais tomaram uma gelada em uma favela, jamais foram em uma roda de samba e ainda quando passam com seus carrinhos financiados em uma caralhada de vezes ainda fecham o vidro e jogam o lixo na rua.

Por isso que tomo algumas
São pelas contradições acima, que continuo cada vez mais indignado, cada vez mais de saco cheio destas malas sem alça, pensadores de rede social.Por isso que para desanuviar gosto mesmo é de beber em adega de favela ou comunidade como queiram, gosto mesmo de churrasquinho de gato e das amizades sinceras, que não surgem de internet. Claro que tem muita gente boa, pensadores de verdade, mas o pensador de verdade - na maioria das vezes - usa o verbo em terceira do singular, ou primeira do plural, mas jamais em primeira pessoa. Mas como dizia o meu amigo Wanderley Francklin, é “a indignação é o alimento da criação”, por isso ficar indignado nem é tão ruim assim. Portanto um VIVA aos imbecis que se acham em redes sociais.

Dória fica esperto...
Os antigos costumavam dizer “antes do galinheiro dos outros preciso cuidar do meu”. Esta frase era dita pelos nossos avós. Lembro bem da minha vó Maria dizendo isso, claro afirmando que temos que cuidar de nossas vidas primeiro e depois dos outros. Enquanto o nosso prefeito João Dória, está por ai fazendo sabe-se lá o que em outras cidades do país, a nossa “paulicéia desvairada” continua ao “Deus dará”. Por exemplo como o prefeito mantém no cargo alguém investigado pelo MP, que também figurou na reportagem da CBN como integrante da suposta “máfia da Lei Cidade Limpa” e que é reconhecido no meio político como “fazedor de caixa”? Não é perseguição. Nos corredores da Câmara Municipal, quando o nome do dito cujo é citado logo é lembrado como um “exímio fazedor de caixa”. Dória.... acorda.... e aceita uma dica deste humilde gordão que é povo: fique mais por aqui, sem fantasia, sem figurino e se intere de a quantas anda a cidade de São Paulo.

Direto das minhas fontes...
E por falar em Dória, segundo uma de minhas fontes de água mineral, tem Prefeitura Regional que não tem carro para trabalhar e quando o carro é arrumado pelos próprios comerciantes, o mesmo carro é usado para fiscalizar os mesmos comerciantes que contribuíram com a manutenção do veículo. Tudo bem que a lei é para todos, mas quando a fiscalização tem moral para fiscalizar, não quando determinado fiscal mente para o MP ou mesmo outro da mesma equipe está sendo investigado pela CGM. Porra Dória, ainda não dá...

Ler 236 vezes
Luiz Mário Romero

Diretor Responsável: Luiz Mário Romero - MTB 34.256

Mais nesta categoria: « Polemizando - ed 253

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.