Sábado, Novembro 18, 2017
redacao@fatopaulista.com.br / fatopaulista@hotmail.com Telefone: (11) 2849-1454 ::: Ano IX - Edição n º 256
Quarta, 21 Dezembro 2016 19:37

Polemizando - edição 246

Escrito por 
Avalie este item
(0 votos)

Abrindo os trabalhos
Ao som de Canto de Oxum de Vinicius de Moraes e pedindo as benções de Oxalá é que este humilde gordo abre a última “coluninha de quinta” desde ano que parece não terminar. Com uma ponta de tristeza por tantos grandes caras terem partido, muitos do samba, outros religiosos, ativistas sociais, artistas e demais grandes seres humanos que nos deixaram com uma baita saudade. Mas vamos lá, na certeza que tudo vai melhorar no próximo ano...

 

Salve Daio
O ano termina com a partida de um dos maiores músicos que vi tocar. Vi ele lavantar muita roda de samba. As vezes acontecia assim, a roda estava legal, mas meio fria, mas quando o maestro chegava “o bicho pegava”. Grande cara, grande sambista com uma humildade impar, não tinha boca para nada, quem o via chegar e não o conhecesse dificilmente imaginaria – por causa da sua humildade – que ali estava um dos músicos mais respeitados pelos monstros sagrados do samba. É,  ele se foi, o ano termina com a precoce partida de Odair Washington ou simplesmente,  Daio do Banjo, do cavaco, da viola, do violão...Vá com Deus, grande sambista, vá com Deus grande Maestro, por aqui estaremos todos orgulhos de um dia o temos conhecido.

Celular sentimental
     Mas vamos de gozação... Quem me conhece, conhece também um velho celular que me acompanha há anos. É um daqueles de 50 conto, que não tem câmera, zap, internet, não tem porra nenhuma, somente serve para falar e ouvir. Mas é meu companheiro e sempre resistiu a tudo. Resistiu bravamente aos primeiro anos de vida do Salomão, foi jogado ao chão, desmontado e jogado no aquário. O pobre sofreu  todo tipo de tortura empreendida pelo gordinho.

Celular sentimental 2
    Já caiu na privada de casa, caiu na sarjeta e passou ao meu lado noites em claro nos botecos da vida, mas sempre suportando e cumprindo fielmente a sua missão que é a de fazer e receber ligações. Na semana passada pude perceber a empatia que ele (o celular) tem com este humilde gordão. Acontece que um dia desses acordei meio macambúzio, meio triste, meio jururu (como diria meu velho tio Raul). E não é que o celular também ficou meio baqueado, a tecla 2 não funcionava e nem a verde aceitava funcionar. Naquele dia gordão e o velho celular ficaram de molho. Já no dia seguinte acordei melhor e feliz e não é que o velho celular voltou a funcionar normalmente!

 Troca-troca
É,  Itaquera a partir do dia 1º terá novo subprefeito. O genuíno itaquerense, o médico Jacinto Reyes que deve sim fazer um bom trabalho pois conhece o bairro, conhece as lideranças de verdade, conhece as malas oportunistas e deve estar vacinado contra a infestação de “puxas sacos” que já está por vir. Agora fica a dúvida. O último ficou quase três anos, fez de tudo para ficar no cargo, dizem que foi até Brasília para continuar, isto no início do ano. Não se sabe – realmente – por que motivo lutou tanto para permanecer. Amor por Itaquera? Abraça! Agora o novo subprefeito terá sim a missão de – com todo o cuidado possível – abrir a inflamável caixa preta da Subprefeitura de Itaquera. Sem dúvida uma árdua missão. O cara foi embora e Itaquera fica, sabe-se lá com quais problemas.

A todos os amigos de copo e de cruz, que sempre estiveram do meu lado, sempre leram esta coluninha de quinta, que sempre torceram por mim e que sempre agüentaram as brigas deste humilde gordão. A todos estes um Feliz Natal e  um Próspero Ano Novo. Valeu,  até mais!!!

Ler 1162 vezes
Luiz Mário Romero

Diretor Responsável: Luiz Mário Romero - MTB 34.256

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.