Segunda, Agosto 21, 2017
redacao@fatopaulista.com.br / fatopaulista@hotmail.com Telefone: (11) 2849-1454 ::: Ano IX - Edição n º 253
Cultura

Cultura (142)

Espetáculo trata com humor e sensibilidade sobre a imigração e tolerância

O espetáculo teatral, Emmanuel – A Luz de Chico Xavier, que estreou em São Paulo, no teatro Fernando Torres, com grande sucesso de público, estará no próximo dia 22 de julho, as 20h, realizando única apresentação no Teatro Nelson Lobo de Barros, localizado nas dependências da Casa do Cristo, Rua Agrimensor Sugaya, 986, no bairro de Itaquera.

O Pequeno Chico e sua turminha do bem trazem através de um musical muito divertido, lições sobre Humildade, Caridade, Amor, Amizade, Perdão, Disciplina e Paciência.

No dia 15 de julho, a Trupe Dunavôestreia temporada de “O Livro do Mundo Inteiro” no SESC Pompeia, com entrada gratuita. A Trupe vem se destacando com um trabalho de muita qualidade que pesquisa a linguagem do palhaço em suas diversas vertentes. Programa imperdível para crianças e adultos durante os próximos fim de semana!

Drama inédito do autor romeno é ambientado no pós-guerra da desintegração da antiga Iugoslávia e fala da guerra, da dor, da memória ferida. Montagem da Temporall Cia. Cênica tem direção de Reginaldo Nascimento

Nos próximos dias, o artista circense Guilherme Awazu apresenta seu novo projeto em diversos espaços de São Paulo e ABCD. Com o projeto “B - STilt” o artista surpreende o público com um número de circo, em formato intervenção, que utiliza a Perna de Pau e danças urbanas como o Hip Hop e Breakdance. Ótima oportunidade de conhecer este projeto que eleva o patamar de pesquisa na técnica da Perna de Pau.

Também serão ministradas aulas de Danças Brasileiras e Teatro para os públicos infantil e adolescente

Também serão ministradas aulas de Danças Brasileiras e Teatro para os públicos infantil e adolescente

Com direção de Bete Dorgam, a comedia Canção dentro do Pão estreia na sexta-feira, 14 de julho, às 21 horas, no Teatro Denoy de Oliveira. O texto é de Raimundo Magalhães Júnior inspirado em uma passagem do romance “Jacques le Fataliste et Son Maitre” (Jacques, o Fatalista e Seu Amo) do escritor francês Denis Diderot.