Domingo, Dezembro 09, 2018
fatopaulista@hotmail.com Telefone: (11) 2849-1454 ::: Ano IX - Edição n º 269
Sexta, 05 Outubro 2018 13:26

Teatro Arthur Azevedo recebe a mostra de repertório Homens à Deriva

Escrito por 
Avalie este item
(0 votos)

A partir do dia 11, uma peça diferente é apresentada a cada semana

Jogando luz sobre incertezas e paradoxos da nossa sociedade, quatro peças dirigidas por André Garolli chegam, em outubro, ao Teatro Arthur Azevedo. A partir do dia 11, a mostra de repertório Homens à Deriva traz espetáculos que, cada um a sua maneira, representam um tipo diferente de “prisão”. 

A mostra Homens à Deriva selecionou quatro peças com direção de André Garolli. Cada uma delas representa um cárcere diferente: o mental, simbolizado pela loucura, é explorado em Abre a Janela e Deixa Entrar o Ar Puro e o Sol da Manhã, de Antonio Bivar, que a programação no dia 11. Na semana seguinte, é encenado Desilusão da Meia-Noite, espetáculo que aborda o cárcere geográfico, com foco na questão dos refugiados. A prisão social, a da exclusão, é tema da peça Memórias (Não) Inventadas, de Tennessee Williams, que pode ser vista a partir do dia 25. Encerra a mostra, em novembro, Histórias dos Porões, com texto de Analy Alvarez sobre cárcere político durante a ditadura militar brasileira.

Garolli explica a maneira na qual as peças, completamente independentes uma da outra, dialogam entre si. “Os personagens são pessoas encarceradas, de alguma maneira, que são obrigadas a criar mentiras e ilusões, usar o imaginário para poder sobreviver dentro desse universo”, afirma. Um exemplo é Memórias (Não) Inventadas. No texto, uma prostituta doente é ameaçada pela proprietária do bordel de ser expulsa. Aquele espaço, entretanto, ao mesmo tempo em que é uma prisão na qual ela não tem condições nem de sair ou de ficar, é a única representação concreta de suas memórias.

A ideia de estar à deriva é um dos principais questionamentos dos espetáculos. “Se não estamos encarcerados, provavelmente estamos à deriva, sem saber para onde ir e como prosseguir”, explica o diretor. “Qualquer tipo de cárcere é nocivo, em qualquer época”, completa. “Mas sempre podemos pensar em uma fuga - se não, não existe liberdade. Pensamos que estamos livres, mas não”, finaliza.

Apresentações

Mostra Homens à Deriva

| Abre a Janela e Deixa Entrar o Ar Puro e o Sol da Manhã. 75 min. 16 anos. De 11 a 14/10. 5ª a sáb., 21h. Dom., 19h 

| Desilusão das Dez Horas. 70 min. 16 anos. De 18 a 21/10. 5ª a sáb., 21h. Dom., 19h

| Memórias (Não) Inventadas. 55 min. 16 anos. De 25 a 28/10. 5ª a sáb., 21h. Dom., 19h

| Histórias dos Porões. 60 min. 16 anos. De 1º a 4/11. 5ª a sáb., 21h. Dom., 19h

| Debates. De 11/10 a 1º/11. 5ª, 22h15

| Teatro Arthur Azevedo – sala multiuso. Av. Paes de Barros, 955, Mooca, Zona Leste | tel. 2604-5558. De 11/10 a 4/11. Grátis (retirar ingresso uma hora antes)

Ler 112 vezes
Ligia Minaro

Jornalista Responsável: Ligia Minaro - MTB 33.856