Sábado, Novembro 17, 2018
fatopaulista@hotmail.com Telefone: (11) 2849-1454 ::: Ano IX - Edição n º 268
Sexta, 10 Outubro 2014 10:44

ciclovias não chegam aos bairros - edição 218 Destaque

Escrito por 
Avalie este item
(0 votos)

Apesar das ciclovias estarem alavancando a popularidade do prefeito Fernando Haddad, a questão tem gerado mais polêmica do que o número de ciclistas  utilizando estas faixas exclusivas.

 

Comerciantes, deficientes físico, moradores que acordaram com uma ciclovia em frente as suas residências, todos tem se demonstrado descontentes com a iniciativa. De outro lado urbanistas, ciclistas e especialistas em mobilidade urbana que aprovam a medida.
Pintar as faixas de rolamento ou mesmo passeios públicos e chama-las de ciclovias tornou-se uma rotina na gestão do prefeito Fernando Haddad. Apesar de estarem localizadas em sua maioria no centro da cidade, as ciclovias já geraram polêmicas, como as localizadas em frente a escolas, pois com as ciclovias as vãs escolares passam a não podem parar em frente as escolas para o desembarque dos pequenos que ainda nem sequer saber andar de bicicleta. Além dos alunos cadeirantes que passam por riscos ao desembarcarem em plena via de rolamento.
Também no centro de São Paulo outro problema apontado está quanto ao movimento dos estabelecimentos comerciais. Na rua Sete de Abril - a guisa de exemplo - eram duas faixas, uma delas usada como Zona Azul o que permitia a parada de consumidores e mesmo para carga e descarga. Hoje a faixa de Zona Azul virou ciclovia onde é proibido parar e estacionar e assim tornou o trânsito da região ainda mais caótico.
Enquanto as ciclovias infestam o centro da cidade, com apenas alguns poucos ciclistas as utilizando, em regiões da cidade onde a bicicleta é realmente um meio de transporte e não mero modismo de intelectualóides, nestas regiões a implantação de ciclovias ainda é tímida, justamente onde existem ciclistas que utilizam este meio de transporte quase que diariamente.
No bairros é natural alguém ir na padaria, no açougue ou buscar o filho na escola de bicicleta, são trajetos curtos que não requerem um grande preparo físico ou mesmo um local para tomar banho para se iniciar uma jornada de trabalho. Já nos grandes centros, alguém para ir trabalhar de bicicleta, é necessária uma estrutura como armários e banheiros com chuveiro, já que não deve ser nada agradável iniciar um jornada de trabalho depois de horas suando em uma bike.

Ler 901 vezes
Ligia Minaro

Jornalista Responsável: Ligia Minaro - MTB 33.856