Terça, Dezembro 11, 2018
fatopaulista@hotmail.com Telefone: (11) 2849-1454 ::: Ano IX - Edição n º 269
Quarta, 28 Fevereiro 2018 09:03

Trânsito caótico - O eterno problema Destaque

Escrito por 
Avalie este item
(0 votos)

O bairro de Itaquera já foi adjetivado de “coração da Leste”,  para muitos ainda um bairro promissor que tem muito a crescer, mas para outros muitos um bairro que cresceu sem planejamento, uma colcha de retalhos de sucessivas administrações que perpetuou problemas que duram décadas, entre eles o eterno caótico trânsito.

 

Jacu Pêssego, Nova Radial, alças e mais alças de acesso, desapropriações, nada foi o suficiente para solucionar o trânsito do bairro que continua tomando preciosos minutos e até horas de quem mora, trabalha ou estuda em Itaquera. Avenida Líder, Campanela, Gregório Ramalho, Afonso de Sampaio e Souza, são apenas algumas da vias que são intransitáveis no chamado horário de pico.
Há mais de vinte anos, os jornais do bairro noticiavam a questão, reportagem e fotos de arquivo davam conta do problema, que naquela época já durava muitos anos. Os moradores mais antigos guardam fotografias da rua 25 de Março complemente congestionada, o nome da rua mudou, mas o trânsito não, e atualmente a Padre Viegas de Menezes também pára no horário de pico , devido ao grande número de veículos que ali desembocam oriundos da avenida Campanela que também pára.
Na rua Gregório Ramalho é a mesma coisa, registros de 30 anos atrás mostram o trânsito caótico e hoje o problema se perpetua. Na avenida Líder o problema não é menor, na esquina com Harry Dannemberg, os carros se afunilam e o trânsito para, só para variar. Quando a Harry Dannemberg muda para Afonso e Sampaio e Souza no Parque do Carmo os motoristas que pretendem acessar a Aricanduva aguardam alguns minutos em uma saraivada de buzinaços que nada resolvem. Até mesmo vias que - naturalmente- se transformaram em alternativas também contam com muito trânsito nos horários de pico, casos da Fontoura Xavier e até a antes tranquila Maria Luiza Americano.
Estes são apenas alguns exemplos de há quantas os carros não andam em Itaquera, vale acrescentar à lista avenida Pires do Rio e até a residencial Carolina Fonseca. Não é necessário ser um phd em urbanismo para se chegar uma conclusão clara que todas as intervenções viárias realizadas nos últimos anos serviram apenas para aqueles que atravessam o bairro com destino a outros locais. Itaquera mesmo ficou sitiada em baixo de viadutos e mais viadutos, parte de seu comércio foi ceifado e o trânsito ficou cada vez pior.

Ler 14213 vezes
Luiz Mário Romero

Diretor Responsável: Luiz Mário Romero - MTB 34.256