Quarta, Setembro 19, 2018
redacao@fatopaulista.com.br / fatopaulista@hotmail.com Telefone: (11) 2849-1454 ::: Ano IX - Edição n º 266
Quinta, 28 Novembro 2013 14:28

Obras aniquilam comércio de rua na Zona Leste - edição 204 Destaque

Escrito por 
Avalie este item
(0 votos)

Como em Itaquera obras em prol do transporte e do trânsito, podem também ajudar a aniquilar parte do comércio da avenida Ragueb Choff em São Mateus, Zona Leste paulistana. As obras do Monotrilho que liga o Ipiranga à Cidade Tiradentes com uma estação no terminal São Mateus. O monotrilho terá 26,6 km e 18 estações elevadas.

As obras de mobilidade na Zona Leste estão a “todo vapor”, são viadutos, faixas exclusivas de ônibus e o monotrilho que liga o Ipiranga à Cidade Tiradentes. Um sonho, desde a última década do século passado, quando na gestão do então prefeito Celso Pitta foi batizado de Fura-fila. O século 21 chegou, sua primeira década se foi em 2010, mas em 2014 finalmente deve chegar o monotrilho, novo nome para a antiga ideia que elegeu Celso Roberto Pitta do Nascimento prefeito de São Paulo.
O monotrilho da Zona Leste é uma das principais ações para o transporte público para a população local. O elevado vai ligar a Estação Ipiranga, da Linha 10-Turquesa, que liga o ABC ao Centro, passando pela Estação Vila Prudente, da Linha 2-Verde, pelo Terminal São Mateus e chegando à região de Cidade Tiradentes. O monotrilho terá 26,6 km e 18 estações elevadas.
No total, já foi determinada a desapropriação de 159 imóveis. No último decreto do governo estadual de abril, vários imóveis na região da Ragueb Chohfi estavam listados, totalizando pelo menos 7,7 mil metros quadrados, cerca de um campo de futebol.
Na avenida Ragueb Chohfi em São Mateus – um dos principais corredores comerciais da Zona Leste – muitos comércios podem sucumbir ao ostracismo, já que o canteiro central desta via vai dar espaço ao chamado “elevado do monotrilho”. O trecho liga o entroncamento da avenida Aricanduva ( onde está localizada a Subprefeitura de São Mateus) até a conhecida Padaria Satélite na esquina com a avenida Bento Guelfi. Neste trecho estão sediados mais de 500 estabelecimentos comerciais, que empregam ao todo mais de 5 mil pessoas, muitas delas moradoras da própria região. Vale citar que o local sedia várias lojas de rede como Casas Bahia, Supermercado Nagumo, entre outras. “Claro que aqui vai virar uma Amaral Gurgel” comentou um comerciante que pediu o anonimato. Ele se refere a avenida do centro paulistano, que devido ao elevado Costa e Silva virou um ponto de prostituição e o seu comércio literalmente foi aniquilado.
Toda a polêmica gira em torno do canteiro central da via que não tem mais de 50 centímetros e por este motivo a v ia seria praticamente extinta na parte comercial. Um dos que apoiam os mais de 500 comerciantes do trecho é o vereador Gilson Barreto do PSDB que solicitou junto o secretário de Transporte Metropolitanos, a alteração do trecho para que assim os comerciantes não fossem afetados.
Segundo o ativista social Angelo Iervolino, morador da região, os comerciantes afetados serão os sediados entre o trecho do entrosamento da avenida Jacu Pêssego até a Subprefeitura de São Mateus. “os comerciantes de lá já esperam pela desapropriação”, lamenta.

Como representante pela sociedade civil, representando a Região Leste, no ano de 2011 participei da Câmara Técnica do Conselho Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável “CADES” que estudou o EIA/RIMA do projeto do monotrilho “VILA PRUDENTE-HOSPITAL CIDADE TIRADENTES. Foram 9 meses de reuniões semanais para elaboração do Relatório de Exigências para a fase seguinte do empreendimento.
Os pontos mais críticos do empreendimento no trecho da Praça Felisberto Fernandes da Silva (Largo de São Mateus) até o Hospital Cidade Tiradentes foram a transposição do Largo de São Mateus, a Avenida Ragueb Chohfi no trecho entre a Avenida Aricanduva e a Avenida Jacú-Pessêgo (via estreita sem canteiro central) e no trecho da Avenida Bento Guelfi até a Rua Nascer do Sol (pelo mesmo motivo). ANGELO IERVOLINO - PRESIDENTE DA SOCIEDADE AMBIENTALISTA LESTE “SAL”DIRETOR DE MEIO AMBIENTE DO FDZL

 

"Tenho proposto, há meses, alternativas para a mudança do trajeto original da Linha 15-Prata do Metrô, que ligará o Ipiranga à Cidade Tiradentes. Sou a favor de que o novo traçado acompanhe um trecho do Córrego Aricanduva, em vez de passar pela Avenida Ragueb Chohfi, como prevê o projeto. Acredito que o governo deva atender essa mudança do traçado do monotrilho, porque isso é viável, e vou acompanhar todos os debates para que essas pessoas não percam seus imóveis. Se esse trajeto não for alterado, corre-se o risco de matar o comércio dessa região. Vou continuar lutando para que isso não aconteça", vereador Gilson Barreto

 

Ler 3758 vezes